O governo paquistanês voltou a apertar a sua aderência na Internet. O Conselho de administração tomou uma série de sites para monitorar o conteúdo da difamação do Islã.

Entre as páginas que estão observação são o motor de busca do Google, o serviço de e-mail do hotmail e do serviço de vídeo YouTube.

De acordo com o Conselho de administração, a intenção é determinar se existe algum material do site que viole o Islã e os muçulmanos. No entanto, o acesso às páginas não é bloqueado pelas autoridades, porque são importantes fontes de informação para os cidadãos.

No mês passado, o Paquistão bloqueou a entrada para o serviço social no Facebook por duas semanas agora. A razão foi o sorteio Profeta Muhammad concurso lançado por um usuário do Facebook. Todas as formas do Profeta Muhammad são estritamente proibidas no Islã.